Baixe o álbum Mestres no Estúdio

Já está disponível para baixar o álbum Mestres no Estúdio, gravado pelo grupo de cantorias populares Balaio de Minas, de Três Corações, com participação de cinco mestres de cultura popular da região Sul de Minas. O disco é resultado da pesquisa de história oral promovida pelo Ponto de Cultura Museu da Oralidade, da Viraminas Associação Cultural, com financiamento do Fundo Estadual de Cultura.

Edinho do Samba, mestre de bateria da Escola Acadêmicos do Morro, de Três Corações; Maria Roxinha, rezadeira de Cambuquira; Vicente Lima, do grupo de catira São Bentense, de São Bento Abade, Jaime Darcy e Mestre Adair, da Folia de Reis Tira Couro, de Três Corações; e Mestre Albino, do Congado de Cambuquira são os ilustres convidados do projeto.

Cada um dos mestres recebeu a visita da equipe de pesquisa. Em casa, e com apoio de familiares, relembraram memórias e contaram trechos vividos nos grupos de cultura popular dos quais participaram. As histórias deram origem às composições, de autoria do músico Ronildo Prudente, que fazem alusão às narrativas de cada mestre.

Capa do Álbum Mestres no Estúdio
Clique na imagem da capa para baixar o álbum

Conheça as canções do álbum:

Mestre Albino

Voltar ao início

Letra Ronildo Prudente. Vozes Mestre Albino, Andressa Gonçalves, Adelaide de Castro, Ronildo Prudente, Utta, Paulo Morais. Viola, sanfona, patangome, triângulo e tambor Ronildo Prudente.

Ó senhora do Rosário
Óia a fita colorida
Os congadeiro da Lavra já vão fazê a subida
A benção São Benedito ai, ai

Ó São Benedito vem trazê fulô
Ó São Benedito vem trazê fulô
Alimenta o seu povo que fé e tem amô
Alimenta o seu povo que tem fé e tem amô

Ó Senhora do Rosário
Os tambor já tão tocando
O estandarte tá bonito
Congadeiro se agrupando
Oi na casa do Mestre Albino ai, ai

REFRÃO

Ó que dia tão bonito
O mastro já tá subindo
Aprepare a morada
Que o Congado já vem vindo
A benção São Benedito ai, ai

REFRÃO

Salve o rei e a rainha
Que hoje chegou o dia
Vai sair a procissão
Vem com a sua famia
Pra subida do Rosário ai, ai,

REFRÃO

O Congado vai embora
Congadeiro vai tocando
Para o ano tem de novo
Já vamos nos preparando
Na casa do Mestre Albino ai, ai

REFRÃO

Mestre Vicente

Voltar ao início

Letra Ronildo Prudente. Vozes Vicente Lima e Antônio Lima. Viola Vicente Lima. Palmas e pés Antônio Lima e José Maria Lima. Grito Andressa Gonçalves

Eu vou contar uma história que é verdade cem por cento
De um cidadão importante da cidade de São Bento
Madeira que é de lei enverga mas não arrebenta
Olha o Seu Vicente Lima já vai pra lá dos setenta

Nasceu com arte na veia, talento e alegria
Nunca apanhou do serviço, trabalhava dia a dia
Mas a alma de artista é que o sobressaía
Foi expulso da escola pela arte que fazia

Vicente, ah menino sem brilho!

Era na lua minguante que cortava guatambu
Lua cheia era boa pra caçada de tatu
Na venda do Tião Sinésio onde o povo se ajuntava
Se ninguém fizesse compra, logo o rádio desligava

Aprendeu muito na vida com o tio Evaristo Lima
Na escola só escutava o grito da Catarina
Aprendeu sua leitura foi na luz da lamparina
Já viu mula-sem-cabeça, era a dona Felisbina

Na política fez história nas quatro vez que elegeu
O pisado do catira muito cedo ele aprendeu
A viola afinada é um tom que Deus lhe deu
Com a ajuda dos seus irmão, o catira não morreu

Ao senhor Vicente Lima não importa a escolaridade
Foi na escola da vida que aprendeu toda a verdade
Quem quiser uma prosa boa procura esse cumpade
Quem quiser um bom catira vai lá em São Bento Abade

Dona Roxinha

Voltar ao início


Letra Ronildo Prudente. Vozes Mestre Albino, Andressa Gonçalves, Adelaide de Castro, Ronildo Prudente, Utta, Paulo Morais. Viola, sanfona, patangome, triângulo e tambor Ronildo Prudente.
Vozes Andressa Gonçalves, Adelaide de Castro, Utta. Viola, pandeiro e tambor Ronildo Prudente.

No terço de São Gonçalo não pode rir nem chorar
No terço de São Gonçalo não pode rir nem chorar
Se rir ou chorar pega fogo no altar
Se rir ou chorar pega fogo no altar

Ô São Gonçalo
Traz a benção
Ôôôô

Vim pedir à São Gonçalo que abençôe essa famia
Que nos cubra com seu manto, Nossa Senhora da Guia.
Vim pedir a proteção às Três Guardas de Jesus
Olerê ô aos pés da cruz

REFRÃO

Tinha teto de sapé a casinha pequenina
Tinha reza e tinha fé, tinha a sina da menina
Que nos sonhos de criança, já rezava, já benzia
Olerê ô Ave Maria

REFRÃO

A menina então cresceu Olerê ô
e cresceu a devoção Olerê ô
Fez história e fez famia Olerê ô
Trouxe vida em suas mão Olerê ô

Hoje quem precisa reza Olerê ô
Dona Roxinha é que cura Olerê ô
Pôs a fé e a caridade Olerê ô
Sempre a serviço dos seus
Olerê ô Primeiro é Deus

Mestre Jaime e Mestre Adair

Voltar ao início


Letra Ronildo Prudente. Vozes Mestre Adair, Mestre Jaime, Adelaide de Castro, Andressa Gonçalves, Utta e Ronildo Prudente. Pandeiro, viola, triângulo e tambor Ronildo Prudente.

Dona da casa recebe a folia
E essa bandeira de fé e devoção
Que os santos reis abençoe a família
Que a estrela guia traga luz de benção

Nós vai chegando com o pé direito
Com humildade na frente é Deus
Que os três reis estejam presentes
E abençoe essa casa e os seus

Vida longa ao menino
que se fez embaixador
Oiá

Foi em prol da igrejinha
Foi com fé e devoção
Que a folia Tira Couro
Fez história e tradição
Oiá

O tempo passa mas a fé não envelhece
Salve a folia, salve o embaixador
Vem mestre Jaime cumprir a missão
Mestre Adair dá o tom da oração

Entra a bandeira, entra a famia inteira
Que o presépio já tá no altar
Vem cantar prece, recebe a oferenda
Que a folia vai continuar

REFRÃO

Quem com fé planta esperança
Colhe frutos da união
E a folia Tira Couro
Segue firme na missão
Oiá

Mestre Edinho

Voltar ao início


Letra Ronildo Prudente. Vozes Utta e Ronildo Prudente. Surdo, pandeiro, tarol, caixa e tamborim Bateria Acadêmicos do Morro Apito, cavaco e tamborim Ronildo Prudente

Três Corações traz registrada em sua história
A saga de um guerreiro cantador
E traz viva na memória a melodia que o tempo não calou

A história dessa luta não é de hoje
Vem de outros carnavais
E só podia ser grande a trajetória
De quem já começa o jogo com um ás

Vamo em frente minha gente
Que a avenida não acabou
Põe a águia pra voar
Mestre Edinho já chamou
Vem viver a fantasia
Vai ter carnaval de novo
Acadêmicos do Morro não abandona o seu povo

Ôôô Mestre Edinho já chamou

O nosso mestre inspirado na alegria
Ginga do samba, futebol e carnaval
Na evolução do bateria
Fez da vida um enredo sem igual

Está na ala dos grandes compositores
Está na ala de quem quer fazer e faz
Salve a escola, salve o Edinho do Samba
O seu povo reconhece e não esquece jamais

REFRÃO

Ficha técnica

Voltar ao início

Coordenação do projeto Paulo Morais
Direção Artística Ronildo Prudente
Direção de Estúdio Utta
Produção Executiva Andressa Gonçalves
Assistência de Produção Adelaide de Castro

Arranjos Ronildo Prudente e Utta
Mixagem Utta
Fotojornalismo Paulo Morais
Textos Paulo Morais
Arte-final Paulo Morais
Elaboração de projeto Paulo Morais, Andressa Gonçalves e Adelaide de Castro
Prestação de Contas Adelaide de Castro e Contabilidade São Thomé

Cópias Global Mídia

Parceria Casa da Cultura Godofredo Rangel
Apoio Fundo Estadual de Cultura

Agradecimentos
Vanessa Manes
Lincoln Daniel de Souza
Marcelo Mendes
Ananda Guimarães
Sérgio Vermelho
Terço de São Gonçalo do Taquaral
José Maria de Lima
Cláudia dos Santos
Wilken Sanchez

Gravado no Canaviá Estúdio, da Viraminas Associação Cultural / Ponto de Cultura Museu da Oralidade, em 2017.